• ROGÉRIO TORRES NUNES

Live streaming em Exposições e Congressos: Conteúdo livre e gratuito ou pago ?


Quando a conferência de imprensa no dia aterior à abertura da Baselworld informou sobre as tendências da indústria de relógios e jóias, milhares de jornalistas seguiram a transmissão ao vivo online (11.300 acessos). Um número crescente de organizadores estão descobrindo o Live Streaming em seus eventos. Tal como acontece na área de comunicação, objetivos claros devem ser perseguido também nas ações de Live Streaming. O conteúdo ao vivo também tem potencial para novos modelos de negócios.


Nunca foi tão fácil de transmitir conteúdo ao vivo na internet via Facebook, YouTube ou Periscópio a um custo relativamente baixo. Os organizadores de exposições e congressos usam Live Streaming para fazer apresentações e discussões disponíveis para aqueles que não podem comparecer no evento. O conteúdo ao vivo aumenta o alcance e a visibilidade de seu evento e transmite conhecimento e discurso para o mundo exterior. Ele também pode atuar como um teaser para motivar as pessoas a vir para o evento.

O Live Streaming também faz parte da comunicação no Grupo MCH. Assim, a Baselworld, a feira líder global para a indústria de relojoaria e joalharia estava fluindo sua conferência de imprensa de abertura em 16 de março de 2016 ao vivo na internet. A edifício Swiss na feira, Swissbau, transmitiu apresentações e discussões selecionadas, tanto com, como para líderes da indústria, a partir de seu formato de evento "Swissbau Focus".

Live Streaming como parte do conceito de comunicação

Apesar da tecnologia ser simples e de baixo custo: o uso de transmissões ao vivo em exposições e congressos devem ser planejados cuidadosamente. "Streaming é simplesmente algo que é transmitido", não faz sentido, diz Stephan Peyer, Diretor de Desenvolvimento (CDO) no Grupo MCH. "Live Streaming deve ser parte do conceito de comunicação e perseguir objetivos claros."

Livestreaming não substitui o evento

Uma coisa que o Live Streaming não pode substituir é o evento presencialmente. “Tudo o que fazemos a este respeito é reforçar a experiência no evento, mas não torná-la obsoleta", explica Peyer. O foco é, então, também, maximizar o benefício de informações ao vivo para os visitantes externos. O público presencial está em busca de objetivos mais profundos no evento como se envolver no contexto e interagir com seus pares, fortalecendo sua networking, que é, portanto, de grande importância quando se trata de transmissão de conhecimento.

Live streams em eventos como um modelo de negócio

Como, então, podemos implementar o Live Streaming com sucesso em exposições e congressos? Há muitas possibilidades diferentes aqui. As transmissões poderiam ser usadas como um teaser, seduzindo as pessoas a vir para o evento, diz Peyer. E novos modelos de negócios também podem derivar do conteúdo ao vivo: algumas palestras, por exemplo, podem ser gratuita, enquanto outras, por outro lado, podem ser tarifadas. Desta forma, tanto palestras individuais ou contribuições de discussão poderiam ser compradas, ou um bilhete diário digital poderia ser comprado, que dá acesso a todo o conteúdo ao vivo. Os vídeos também podem ser vendidos após o evento real.

"Um caso de negócio específico é, em última análise necessária, a fim de garantir que as despesas e rendimento das transmissões ao vivo estejam em uma proporção equilibrada", diz Peyer. Isto também significa: o estabelecimento de KPIs e monitorá-los. Em última análise, tudo se resume a uma simples pergunta: se vale a pena ou não.

Fonte: Christoph Spangenberg


20 visualizações