• ROGÉRIO TORRES NUNES

Porque o Crowdshaping pode oferecer aos visitantes do evento o que eles querem - Parte 1 - Nissan



Descubra como os dados estão sendo usadas em tempo real para melhorar a experiência do participante em eventos.

Crowdshaping é a utilização de dados gerados por pessoas dentro de um espaço definido para ajustar e personalizar, muitas vezes em tempo real, o evento ou experiência. Enquanto crowdsourcing se refere a pessoas compartilhando intencionalmente e ativamente suas opiniões, preferências, ou idéias, crowdshaping é relativamente passiva, geralmente usando a tecnologia que detecta as preferências e os interesses das pessoas com base em suas ações. Planejadores experientes estão tentando descobrir como usar esses dados para fazer ajustes em tempo real que melhoram a experiência para os visitantes. Aqui estão seis exemplos de crowdshaping em ação.

Nissan no North American International Auto Show

Na North American International Auto Show, realizada no período de 12 a 25 janeiro em Detroit, a agência de marketing experiencial George P. Johnson usou RFID e iBeacons para criar uma experiência interativa controlada em seus smartphones para os visitantes do stand da Nissan. Usando a geo-localização, o sistema fornece informações sobre veículos específicos quando os visitantes se aproximam deles. Eles também puderam jogar e baixar materiais de marketing. "Literalmente, assim que você percorre o stand, a experiência que você está tendo é 100 por cento exclusiva para você", disse John Capano, vice-presidente sênior de estratégia e planejamento para George P. Johnson. "E nós poderíamos fazer ajustes em tempo real. Se tivéssemos um carro que não estava recebendo atenção suficiente, poderíamos mudar o plano de ação, mudar a sinalização.". Capano disse que a ativação forneceu extensos dados que mostraram longos períodos de permanência e de engajamento.

Foto: Courtesy of George P. Johnson

Fonte: By Mitra Sorrells / 29 de jan. de 2015


0 visualização